segunda-feira, 18 de março de 2013

Chelinho: Vou contar o que me contaram e eu prometi ...




Vou tentar contar esta história verídica conforme a me contaram.
Um morador de Chelo, mais propriamente de Chelinho, necessitava de realizar obras num dos muros que sustenta uma estrada e que veda a sua residência, até aqui nada de extraordinário ou de anormal.
Ainda no tempo do anterior executivo da Junta de Freguesia de Lorvão, logo no tempo do anterior executivo da Câmara Municipal de Penacova, foi feito um acordo, salvo erro verbal, acerca da reconstrução do referido muro se sustentação da estrada (1,50 de altura) que ao mesmo tempo serviria de vedação da residência a partir do 1,50 de altura.
Como não percebo nada de engenharia vou tentar explicar-me melhor e passar a descrever os factos.
O morador acordou em fazer a reconstrução do muro desde a base à sua custa e a Junta de Freguesia de então fazia um pequeno passeio a acompanhar o muro por causa das aguas da chuva e para impedir o estacionamento dos carros junto ao muro para evitar algum acidente com o abatimento da estrada naquele sitio.
Entretanto houve eleições autárquicas e a Junta mudou de Executivo e o que tinha sido acordado segundo as palavras do morador ficou a ver navios.
Eu ao ter conhecimento pelo próprio deste assunto, desloquei-me à referida estrada e com autorização do morador tirei umas fotografias para poderem verificar o perigo que pode advir do abatimento da mesma, é que em alguns sítios o desnível já é bastante acentuado.
É tudo o que tenho a escrever sobre este assunto, mas para o finalizar vou gastar mais uns cêntimos a fazer uma chamada para informar acerca deste motivo e pode ser que o meu telemóvel ajude a realizar mais uma obra ou a resolver mais um assunto.


Enviar um comentário