sábado, 21 de janeiro de 2012

Brevemente na Rua Mário Pio

Amigos do Mondego e Afluentes disse presente no Colóquio "Mondego Vivo"

Imagens do Colóquio "Mondego Vivo"









Até ao momento que estive presente foi um excelente Colóquio, com dois excelentes painéis de interveniente, onde destaco a excelente intervenção do Presidente da Câmara Municipal de Coimbra na vertente sócio-económica e da magnifica intervenção a nível Cultural do Sr. Prof.Doutor Nelson Correia Borges.

Colóquio - A Plataforma Mondego Vivo - " Os impactos da Mini-Hídrica prevista para o rio Mondego na Foz do Caneiro."

A Plataforma Mondego Vivo e a Câmara Municipal de Penacova vão organizar um colóquio no próximo sábado dia 21 de Janeiro de 2012 da parte da tarde sobre os impactos da Mini-Hídrica prevista para o rio Mondego na Foz do Caneiro.

Vão estar presentes e intervir os Presidentes das Câmaras Municipais de Coimbra, Penacova e Vila Nova de Poiares, da empresa Mota Engil e um conjunto de personalidades que farão intervenções do ponto de vista ambiental, económico, social, cultural e energético: Dr. Nelson Correia Borges (Universidade de Coimbra), Dr. Eugénio Sequeira (Liga Protecção Natureza), Dra. Helena Freitas (Liga Protecção Natureza), Dr. Carlos Fonseca (Universidade de Aveiro), Dr. Pedro Almeida (Universidade de Évora), Dr. João pardal (C.M.Coimbra), Dra. Teresa Fidelis (ARHCentro), Dr. Paulo Silva (representante das empresas de animação turística), Engº Nelson Geada (Águas do Mondego), Dr. Luís Amante (Confraria da Lampreia), Profª Patrícia Silva (Faculdade de Economia de Coimbra), entre outros, seguido de espaço de debate.
Será sem dúvida um espaço de debate técnico e científico sobre os impactos deste empreendimento no rio Mondego, para o qual gostaríamos de o convidar a estar presente.

Leilão dos tradicionais chouriços e fogaças ao fim da Eucaristia

Festa em Honra de S. Sebastião em Chelo

O insólito limão do Manecas



sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Para bombar...

Afinal quem são os preguiçosos?

Afinal isto anda mesmo tudo ligado...


Na notícia abaixo ( e também em anexo) só falta mais esta informação retirada de

DESABAFO

Na fila do supermercado, o caixa diz uma senhora idosa:

- A senhora deveria trazer suas próprias sacolas para as compras, uma vez que sacos de plástico não são amigos do ambiente.
A senhora pediu desculpas e disse:
- Não havia essa mania verde no meu tempo.
O empregado respondeu:
- Esse é exactamente o nosso problema hoje, minha senhora. Sua geração não se preocupou o suficiente com nosso ambiente.
- Você está certo - responde a velha senhora - nossa geração não se preocupou adequadamente com o ambiente.
“Naquela época”, as garrafas de leite, garrafas de refrigerante e cerveja eram devolvidos à loja. A loja mandava de volta para a fábrica, onde eram lavadas e esterilizadas antes de cada reuso e eles, os fabricantes de bebidas, usavam as garrafas umas tantas outras vezes.
Realmente não nos preocupamos com o ambiente no nosso tempo.
Subíamos as escadas, porque não havia escadas rolantes nas lojas e nos escritórios. Caminhamos até o comércio, ao invés de usar o nosso carro de 300 cavalos de potência a cada vez que precisamos ir a dois
quarteirões.
Mas você está certo. Nós não nos preocupávamos com ambiente.
Até então, as fraldas de bebés eram lavadas, porque não havia fraldas descartáveis. Roupas secas: a secagem era feita por nós mesmos, não nestas máquinas bamboleantes de 220 volts. A energia solar e eólica é que realmente secavam nossas roupas. Os meninos pequenos usavam as roupas que tinham sido de seus irmãos mais velhos, e não roupas sempre novas.
Mas é verdade: não havia preocupação com o ambiente, naqueles dias.
“Naquela época!” só tínhamos apenas uma TV ou rádio em casa, e não uma TV em cada quarto. E a TV tinha um ecrã do tamanho de um lenço, não um ecrã do tamanho de um estádio, que depois será descartado como???
Na cozinha, tínhamos que bater tudo com as mãos porque não havia máquinas eléctricas, que fazem tudo por nós. Quando embalávamos algo um pouco frágil para o correio, usávamos jornal amassado para protegê-lo, não plástico bolha ou pellets de plástico que duram cinco séculos para começar a degradar.
“Naqueles tempos” não se usava um motor a gasolina para cortar a relva, utilizava-se uma tesoura para relva que exigia músculos. O exercício era extraordinário e não precisava ir a um ginásio usar máquinas que também funcionam a electricidade.
Mas você tem razão: não havia “naquela época” preocupação com o ambiente.
Bebíamos directamente da fonte, quando estávamos com sede, em vez de usar copos plásticos e garrafas pet que agora enchem os oceanos.
Canetas: recarregávamos com tinta umas tantas vezes ao invés de comprar uma outra. Abandonamos as navalhas, ao invés de jogar fora todos os aparelhos "descartáveis" e poluentes só porque a lâmina ficou sem corte.
Na verdade, tivemos uma grande mania verde naquela época.
Naqueles dias as pessoas apanhavam o carro eléctrico ou o autocarro e os meninos íam nas suas bicicletas ou a pé para a escola, ao invés de usar a “mãe” como um “serviço de táxi 24 horas”. Tínhamos só uma tomada em cada quarto, e não um quadro de tomadas em cada parede para alimentar uma dúzia de aparelhos. E nós não precisávamos de um “GPS” para receber sinais de satélites a milhas de distância no espaço, só para encontrar a pizzaria mais próxima.
Então, não dá até vontade de rir que a actual geração fale tanto em ambiente, mas não quer abrir mão de nada e não pensa em viver um pouco como na minha época?
(Recebido por mail)

Carta aberta ao Senhor Presidente da Câmara Municipal de Coimbra e ao Senhor Administrador Delegado dos SMTUC acerca do novo bilhete conVIDA.

Lanço um alerta para os mais distraídos, para quem não utiliza assiduamente os transportes públicos de Coimbra (SMTUC) e principalmente para quem só os utiliza quando se desloca a Coimbra para ir a ao Hospital.
Quem adquirir um bilhete conVIDA, por exemplo com 6viagens (a pensar que podem circular três pessoas da baixa para o Hospital e vice-versa) está redondamente enganado, pois o bilhete embora esteja carregado com 6 viagens só da para uma pessoa circular e não para a restante família/acompanhante, ou seja, cada elemento tem de comprar um bilhete conVIDA com duas viagens.
Não consigo deslumbro prejuízo algum para os SMTUC em o mesmo bilhete servir para varias pessoas que viajem em conjunto, para além de não arrecadarem 0.50 cêntimos da compra do cartão conVIDA.
Outra situação bastante desagradável que vai acontecer num futuro próximo é comprar um bilhete conVIDA com um certo e determinado numero de viagens e só voltar a utiliza-lo passado dois ou três meses, gostava que me informassem como vou saber quantas viagens ainda tenho já que no bilhete conVIDA não e visível o numero de viagens efectuadas ou por efectuar. Mais como não é visível o número de viagens que ainda tenho para realizar quando entrar no autocarro e for passar o cartão naqueles aparelhos electrónicos e não validar a viagem só me resta a alternativa de comprar uma viagem no valor de 1.60 euros. Mas a falha é de quem? Minha? Ou destes novos bilhetes que não permite ao utente a leitura das viagens? Ou da falta de visão de quem implantou este sistema?
Ainda por cima tenho de me fazer acompanhar do talão de carregamento junto do bilhete conVIDA e não o posso guardar na carteira junto de outros cartões para não desmagnetizar?
Deviam providenciar a compra ou o carregamento do bilhete conVIDA no interior dos autocarros.
Senhor Presidente da Câmara Municipal e ao Senhor Administrador Delegado dos SMTUC, ainda vão a tempo de corrigir estas falhas que são de extrema importância para os utentes e utilizadores dos SMTUC.

( Carta enviada por email para a Câmara Municipal de Coimbra e para os SMTUC)

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

SMTUC: conVIDA – O diabo está nos detalhes


Para os mais distraídos e para quem não utiliza assiduamente os transportes públicos de Coimbra e principalmente para quem só os utiliza quando se deslocam a Coimbra para ir a ao Hospital Novo lanço aqui um alerta para não se repetir ao que assisti hoje numa das minhas viagens de autocarro.
Uma família de três pessoas que adquiram um Bilhete da conVIDA com 6 viagens( a pensar que podem circular os três da baixa para o Hospital e vice-versa) está redondamente enganado, pois o bilhete embora esteja carregado com 6 viagens só da para uma pessoa circular e não para a restante família/acompanhante, ou seja, cada elemento tem de comprar um bilhete com duas viagens.
Outra situação que vai começar a acontecer varias vezes é comprar um bilhete conVIDA com um certo e determinado numero de viagens e só volto a utiliza-lo passado dois ou três meses, gostava que me informassem como vou saber quantas viagens ainda tenho já que no Bilhete conVIDA não e visível o numero de viagens efectuadas ou por efectuar. Mais como não é visível o numero de viagens que ainda tenho para realizar quando entrar no autocarro e for passar o cartão naqueles mamarrachos eletrónicos e não validar a viagem só me resta a alternativa de comprar uma viagem no valor de 1.60 euros. Mas a falha é de quem ? Minha ? Ou destes novos bilhetes que não permite a leitura das viagens? Isto não lembra ao diabo mas lembra ao actual executivo da Câmara Municipal que anda de Smart ou de carro para com os impostos de todos nós.
Gostava de ver os partidos da oposição a levantarem todas estas questões na próxima reunião da Câmara Municipal de Coimbra.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Petição "Pelo Pequeno-Almoço na Escola".

Pais e educadores lançam petição "Pelo Pequeno-Almoço na Escola".


Aqui: http://goo.gl/RCCaa

Anti-SOPA

O Blogue Independente por Coimbra juntou-se ao Google, Yahoo, YouTube, Facebook, Twitter, AOL, LinkedIn, eBay, Mozilla, Wikimedia entre outros no combate a uma Lei que quer acabar com a liberdade na Internet.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

EDP com desconto nas Lojas Continente? Vejam o que está depois da notícia


Retirado de uma resposta no Expresso online…


Há dez minutos atrás, ao preencher o formulário para aderir ao descontinho de 10%, deparo-me com a obrigatoriedade de inserir um NIB para pagamento bancário. Como já tenho pagamento por conta bancária, recorri à menina EDP, através do 808 501 501 (linha dedicada aos patos que querem este descontinho e eu fui um deles).
-Fulana de tal... EDP... em que posso ser útil?
- Estou a tentar preencher online a adesão ao desconto de 10% e não há nenhum campo para indicar que já tenho pagamento pelo banco.
- Este será um novo contrato, por isso tem de introduzir o NIB, mesmo que seja o mesmo.
- Um novo contrato? Porquê?
- Porque a senhora está a deixar de ser cliente da EDP Universal e está a passar a ser cliente da EDP mercado liberalizado.
- E... isso quer dizer o quê???
- Que passa a estar no mercado liberalizado de fornecimento de energia que a TROIKA obrigou.
- E se eu não sair da EDP Universal?
- Mais tarde vai ter de sair, porque o mercado regulado vai acabar, por ordens da TROIKA.
- E vai acabar quando?
- Em 2015 vai deixar de haver.
- Então quer dizer que até 2015 ainda posso estar como cliente do mercado regulado!?
- Sim, mas depois tem de sair.
- E se sair já, o que acontece ao preço que vou pagar?
- Até final da campanha os preços mantêm-se...
- E depois de Dezembro de 2012 (final da campanha)?????
- JÁ PERCEBI! NÃO QUERO ADERIR, MUITO OBRIGADA.

Espero que os caros comentadores e leitores também consigam perceber a tempo o que aí vem