quinta-feira, 5 de maio de 2016

Olha para o que eu defendo e não contes a ninguem o que eu faço

Em Coimbra e mais não digo!
Existe um Centro de Dia que me parece mais vocacionado para a lides políticas no que na relação para com as pessoas, onde no meu entender a responsabilidade ética praticamente não existe. 
O acompanhamento das pessoas em dificuldade física, psicológica ou social deixa muito a desejar e volto a frisar, no meu entendimento não respeita o utente, não o promove, não lhe proporciona o bem-estar e a sua felicidade. 
Existem profissionais que nada são profissionais, existem outros funcionários que não têm aptidões técnicas e humanas para o desempenho de funções mas são mão-de-obra barata que serve o interesse da Instituição.
Nos últimos meses vários utentes deixaram o Centro de Dia, um caso que conheço bem de perto levou à saída de uma utente por iniciativa da família porque de forma repentina a Assistente Social da Instituição lembrou-se que agora o Centro não podia ter doentes com demência para arranjar outro Centro o mais rápido possível mas meses antes tinha todas as condições para a receber. Claro que a família meteu o dedo no nariz dessa senhora que em nada dignifica os Assistentes Sociais. Porquê a mudança repentina de opinião? Simples, apesar de a utente ter demência ainda está nas suas plenas capacidades apesar de as ter ao seu ritmo. Isso incomodava porque observava e comentava com a família, ao ponto de quase todas as manhas chorar que não queria ir para o tal centro de dia que pelos vistos valoriza mais a política partidária do que os seus utentes.
Enviar um comentário