sexta-feira, 14 de março de 2014

Porque tenho motivos para desconfiar da desclassificação da Estrada Nacional 110!


A Estrada Nacional 110 entre Penacova e Coimbra, mais conhecida pela Estrada Verde à beira-rio Mondego, tem tido nos últimos anos muitas intervenções devido a derrocadas e à instabilidade dos taludes. Todas as intervenções do homem nas encostas têm agredido visualmente a paisagem natural em todo o seu percurso. Tudo que é pedra, terra e vegetação que cai da encosta é substituída por muros de gavião, por encostas/muros de cimento de cor cinzenta e castanha onde não volta a nascer/crescer vegetação, por exemplo como vai ficar a encosta na obra da Foz do Caneiro.
Estão a substituir a encosta natural que caracteriza a estrada por encostas artificiais.
A EN110 tem mais de uma dezena de pontos referenciados de deficiências no talude que só vão ter intervenção quando houver derrocada e tudo indica que será alvo do mesmo tipo de intervenção.
Todas estas intervenções descaracterizam a nossa Estrada Verde, tenho receio e desconfiança que a médio prazo perderá o “estatuto” de Estrada Nacional para estrada Municipal e consequentemente de Estrada verde, e ai aumenta os problemas na EN110 porque as Câmaras Municipais de Coimbra e Penacova não têm capacidade financeira e humana para realizarem a sua manutenção e uma sucessiva monitorização. Esta minha desconfiança é algo que me preocupa bastante.

Enviar um comentário