terça-feira, 31 de agosto de 2010

Sou o que sou …Gosto de ser assim

Tudo principiou quando nasci em 1970. Foi a partir do meu nascimento, que aprendi o que devo ser, o que sou e não o que os outros querem que eu seja aqui em Africa. Perdão, Portugal.
Tem sido de facto uma tarefa complicada, tão forte é a pressão dos que nos querem acéfalos, fantoches e como se isso não bastasse, também invertebrados.
É claro que através das ruas da Baixa de Coimbra, aprendi muitas coisas.
Aprendi, que importantes são todos aqueles que nos estendem a mão quando tropeçarmos numa pedra. Hoje descortinei que não são alguns... são menos ainda.
Mas também aprendi, que os mais importantes são todos aqueles que nos arremessam as pedras antes de passarmos e que dificilmente saberemos quem são.
Na Escola, todos me ajudaram a compreender que o possível se completa sem esforço.
Infelizmente muitos de nós continuamos a preferir ser inutilizados pelo elogio do que libertados pela crítica.
Também aprendi que não basta ter a faca e o queijo na mão... é preciso ainda tê-los no sítio.
Gosto de fazer critica construtiva, gosto que me critiquem construtivamente, detesto cobardia e tenho-os no sítio.

3 comentários:

LUIS FERNANDES disse...

Gostei do que escreveu, Jorge.
Sentido, nas duas formas -de emoção e formal de serviço militar.
Abraço.

SDaVeiga disse...

Jorge Neves:
Desculpe não incluir um Sr. no título, mas, pelo que vou lendo, não me parece pessoa de se ofender com isso...

Gosto muito de ler o que escreve devido à paixão com que o faz e, se regra geral me limito a carregar na quadrícula da opção mais adequada abaixo da mensagem, muitas vezes não o faço porque falta "triste e abominável" ou "curioso"... Hoje decidi escrever-lhe para agradecer o seu comentário ao meu comentário no "Questões Nacionais", e para lhe louvar o contínuo esforço e inesgotável vontade de mudar o mundo, começando pela freguesia de São Bartolomeu.
Acredito que, se todos fizermos um pouco que seja no nosso cantinho, poderemos mudar tudo, por isso espero que nunca perca a força para continuar a defender o que crê ser o melhor para todos!!!

Um grande bem-haja!
Sónia Da Veiga

Jorge Neves disse...

Obrigado amigo Luís, sou assim mesmo, costumo dizer entre amigos:" Amo quem me ama, que se lixe quem me odeia", mas esse que se lixe, não é sinónimo de desprezo para com eles.
SDaVeiga, eu dispenso o Sr. no titulo, a boa educação não vai por ai.Realmente escrevo com paixão e por vezes com dose excessiva de emotividade. Eu sempre afirmei que esta minha cruzada pela Baixa, mais precisamente pela Freguesia de São Bartolomeu, não se esgotava no mês anterior às eleições, não sou desse tipo de "gentinha" que só se lembra dos comerciantes e dos morados cerca de 30 dias de quatro em quatro anos, depois os ignora por completo.Por isso sou independente, foi eleito como independente por um partido, que deixei de o representar, por não me rever na sua linha de orientação por Coimbra nem pela Baixa, não sei se sou eu que estou errado, mas prefiro trocar de partido do que mudar de principios .Luto e lutarei por uma Baixa melhor, contra tudo e contra todos e por todos.