segunda-feira, 20 de junho de 2011

João Ferreira do Amaral aconselha Portugal a usar o dinheiro da ‘troika' para regressar ao escudo.

Foto da Web

Já não sei qual a diferença entre o mau e o péssimo?


Eu concordo, jamais deveríamos ter aderido a esta moeda sobrevalorizada, ainda por mais sem um Referendo para se saber a vontade dos portugueses, de qualquer forma se não formos nós a sair, seremos impelidos para essa situação, visto que os juros dos empréstimos não param de subir diariamente, e mais tarde ou mais cedo deixaremos de nos conseguir financiar no FMI, BCE…
O buraco financeiro é tão grandioso que é impossível de pagarmos, e os nossos credores nunca nos irão perdoar em caso de falha ou mesmo incumprimento pontual.
Temos de aprender a reviver com a nossa moeda, pois o Escudo reproduzirá aquilo que na realidade produzimos enquanto País, o que é muitíssimo pouco, devido ás más politicas introduzidas em Portugal nos últimos anos.
Devemos renegociar o que devemos, pagar lentamente, enquanto ressuscitamos a nossa economia.
Ficarmos no Euro é adiar o sofrimento e a morte.
Aqueles que conduziram Portugal a esta calamidade e os outros que beneficiaram e ainda beneficiam com esta trama perversa, vão escapulir-se imunes como sempre.
Enviar um comentário